Publicado em Jornalismo

Blogs e jornalismo – parte 1

Voltimeia gosto de tratar de assuntos ligados à comunicação em geral em meio à vida digital que levamos. Alguns fatos acontecidos nas últimas semanas levantaram um ampla discussão sobre essa parceria/briga entre o jornalismo e os blogs. Num pior nível, já tivemos uma briga perigosa entre blogueiros e jornalistas, mas não é exatamente isso que quero discutir aqui.

Antes de entrar no mérito da questão que levantou o assunto (provavelmente falarei sobre isso por aqui no final de semana) quero mostrar para vocês alguns trechos de um texto do blog “O leitor, esse idiota“, especializado em jornalismo.

Devagar com o andor

Sexta-Feira, 26 Setembro, 2008

Ando notando em alguns uma certa euforia para com a onda de blogs. Alguns dizem ser o futuro da notícia. Outros falam que a partir de agora, todo mundo é jornalista, entre outras. (…) Porém, não posso deixar de achar que há aqui uma euforia equivalente àquela de quem achava que a TV iria acabar com o rádio e o cinema, entre outras assemelhadas.

Sinto muito, mas isso não vai acontecer. Assim como você continua indo ao cinema, ouve seu radinho e lê seu jornal, os jornalistas continuarão sendo jornalistas e para chegar longe, terão de comer muito feijão, estudar um bocado e agir jornalisticamente. E jornalistas poderão ser blogueiros, bem como a maioria absolutíssima dos blogueiros não é nem nunca será jornalista.

Um dos motivos é simples: o agir blogueiro difere do agir jornalístico. Por mais que se tente agir jornalisticamente, o grau de opinionismo por aqui é maior, porque blogs são mesmo opinativos por essência. Quem lê este blog o lê porque espera aqui ver aquilo que penso a respeito de algo. Mesmo que eu noticie algo aqui (como da vez em que cobri o Salão Nacional do Jornalista Escritor), já está subentendido que mesmo que se tente ser isento, é aquilo que penso e em um viés que no sentido jornalístico estrito, estaria mais para uma coluna do que para uma matéria.
(…)
Recentemente, tivemos séries muito boas em blogs, como a que Luís Nassif vem conduzindo sobre a Veja e que antes da Satiagraha estourar, já havia cantado muitas bolas. Porém, nunca se esqueça que por lá está sim o jornalista Luís Nassif, mas também o blogueiro, que vai acabar em algum momento deixando algo que revela o tal viés opinativo mais forte dos blogs. Se bem que no caso dele, ele chega a separar o que é notícia puro-sangue do que é blogagem, permitindo que a pessoa vá com a cabeça já preparada para ver o que é o que, ainda que aquela ressalva mental tenha de ser acionada sempre que virmos algo que é blog.
(…)
Noto aqui, no máximo, um ligeiro paralelo com os cinegrafistas amadores. Vide a história da Favela Naval: o cara flagrou os PMs dando porrada em cidadãos, mas quem foi lá apurar a história foram os jornalistas. Lá foram eles ouvirem os muitos lados, lá foram eles se dedicar ao assunto. Já o cinegrafista amador, não é de se imaginar que extraia seu sustento de fazer imagens em contexto jornalístico, como faria um videorrepórter.

Blogs são fontes de informação? Sim, assim como placas de trânsito, jornais, vizinhas fofoqueiras e cães que te arrastam para ver algo que lhes chamou a atenção. A grande diferença é sobre o que é a informação jornalística. Essa tem cara bem definida e, assim como em qualquer outro ofício, temos os bons e os maus, com a diferença que os maus conseguem prejudicar alguém em espectro muito mais amplo que o da fofoca da vizinha.
(…)
Portanto, informe-se nos blogs, mas não ache que alguém que escreve um blog é jornalista pelo fato de escrever blog. Porém, lembre que o blog demanda paciência de quem o lê, não pode ser transportado para lá e para cá, não tem a infra-estrutura de uma empresa jornalística (quem nem grande precisa ser) e por aí vai. Não ache que isto aqui é presumivelmente isento até que se prove o contrário. Nem os blogueiros acham. E também não ache que os blogs balançarão a roseira a ponto de qualquer pessoa poder ser considerada jornalista.

O texto completo você lê aqui.

Anúncios

Autor:

Fábio Ricardo é jornalista blumenauense apaixonado pelo mundo digital, por inovação e por histórias pra contar. Acha que a vida é melhor cercada de gatos, em cima de uma Harley, com uma caneta na mão e uma cerveja em cima da mesa.

7 comentários em “Blogs e jornalismo – parte 1

  1. O blog é o símbolo da liberdade de informação na internet. A idéia do Eu – Veículo de Comunicação está transformando o jornalismo, mesmo que 95% dos blogs não sejam jornalísticos. É claro que hoje ainda temos pessoas com medo deles. Isso aconteceu com a internet em geral nos anos 90 e com os outros meios. O novo sempre assusta.

  2. Sou estudante de jornalismo e adoro blog’s! Acredito que eles sejam ótimas ferramentas de comunicação. Sou contra o autor desse texto. Vai ver ele não aceita que outros escrevam melhor que ele!

  3. Muito bom texto. Realmente, estávamos precisando d emuito mais do que jornais, já que eles são muito impessoais. Mas não vamos deixar de precisar deles. A meu ver, as revistas vão crescer mais no mercado e os jornais vão tomar mais cara de revista. Mas os blog, ocm certeza, vão se proliferar e passar também por uma diferenciação. As pessoas não vão conseguir ler muitos blogs por dia, então terão que ler os melhores dentro desse grand euniverso. Aí está a importância de cada um atentar para o diferencial do seu site.

    abraço

  4. Não sei se você já viu a campanha do Estadão, contra os blogs em favorecimento da empresa jornalística. É antiga, do ano passado. O slogan era “por onde você tem clicado, heim?”. Na época tinha muito blogueiro com raiva da campanha, tanto que, se eu não me engano, tiraram ela de circulação. Mas ainda dá para achar alguma coisa na internet. Saca só:

    Até que é engraçado…

  5. Blogueiro não é jornalista. Blog não não é notícia (hard news). São duas coisas diferentes. Totalmente diferentes. As linguagens são diferentes, blogs não tem hierarquia da informação, não tem o tão querido gate keeper. Quem escreve pra blogs não precisa estar preocupado com quem vai ler ou não o texto. Se alguém vai ler ou não. Nem mesmo precisa estar preocupado com a veracidade do que está escrito. Eu não entendo o que esse povo viu de tão UAAAAAU nos blogs.

  6. Fábio e Sílvia, trago dois fatos para a discussão:

    1 – Fui demitido do Jornal de Santa Catarina, oficialmente, dia 1º de outubro. O motivo ñão foi divulgado. Mantenho o blog Texto Decorado, que eles pediram pra eu tirar do ar na quinta-feira da semana passada, mas não aceitei.
    2 – O jornalista Raffael do Prado, que trabalha no mesmo jornal, mantinha o blog Entra na Fila, que saiu do ar esta semana. Ele tinha criado também o “Um blog sobre coisas” (http://umblogsobrecoisas.wordpress.com/2008/09/25/oasis/), na quinta-feira da semana passada. Nesta terça-feira, quando fui ver, os dois blogs dele tinham sido deletados.

    Quem procurar pelo google pode ver, acionando a opção “Em cache”, os posts antigos. O “Entra na Fila” funcionava pelo raffaeldoprado.wordpress.com

  7. Oi Fabio!

    Me encontrasse onde? eauheauheau
    Bom, vou assinar teus feeds ;)

    Um abraço e obrigado pelo apoio haha.
    Eu jah tive uns 4 blogs diferentes e deixei todos morrerem. Dessa vez eu levo a sério!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s